Prêmio socioambiental é entregue em Sessão Solene na Câmara Municipal de SP

Durante Sessão Solene no Auditório Prestes Maia, a Câmara Municipal de São Paulo entregou o Prêmio Responsabilidade Socioambiental para pessoas físicas e jurídicas que se destacaram nessa área. As homenagens foram entregues  por Gilberto Natalini (PV), vereador licenciado e atual secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente e pela vereadora Aline Cardoso. Natalini é o autor da Resolução 2/2011, que instituiu a premiação.

Sessão-Solene-para-a-Entrega-do-Premio-Responsabilidade-Socioambiental4377ABRE

Segundo ele, um dos desafios hoje na cidade de São Paulo é aliar as preocupações ambientais com a crise econômica. “A causa da sustentabilidade envolve a questão econômica, social e ambiental. A situação da crise é muito grave e o meio-ambiente é o primeiro que apanha e último que bate. São invasões, pessoas fazendo as coisas de qualquer jeito e dá muito mais trabalho”, afirmou.

No entanto, o secretário garante que a consciência ambiental tem aumentando na cidade. “Temos enfrentado com as armas de paz que a gente tem. Eu espero suportar todas as dificuldades. Esses homenageados ajudam a fazer isso.”

A vereadora Aline Cardoso disse que a água é uma das preocupações da gestão João Doria. Ela destacou que o programa Defesa das Águas, deixado para trás na última administração, foi retomada na atual gestão.

“As pessoas que estão pensando políticas públicas continuam alertas e conscientes para tomar medidas de conservação e proteção, fazendo a sua parte. A água é um desafio para a nossa cidade, sabemos que os mananciais estão sobrecarregados, temos problemas de desmatamento e de falta de proteção.”

Um dos premiados foi o ex-deputado Federal Eduardo Jorge. O sanitarista foi um dos criadores do SUS (Sistema Único de Saúde) e ex-secretário do Verde e do Meio Ambiente da capital paulista. “Eu representei essa força política na Constituição. O sistema da saúde foi talvez a reforma mais importante da constituinte democrática. Antes, dois terços da população brasileira era classificada como indigente, sem o direito assegurado.” Também foram laureados a organização TNC (The Nature Conservancy), o Instituto 5 Elementos, o advogado Édis Milaré e a Agência Envolverde.

Foto: André Bueno/CMSP- Fonte: www.camara.sp.gov.br



Saúde SUS    Meio Ambiente e Sustentabilidade    Urbanismo    Biblioteca    Demais Atividades     ComissaoDaVerdade